No Divã
09 características de pessoas resilientes
por A Redação    Dia 16/09/2015      No Divã

Resiliência é um conceito original da física que diz respeito à propriedade que alguns materiais possuem de, ao serem submetidos a um evento estressor, permanecer intactos, sem lesões ou rupturas. É o caso, por exemplo, do ferro, que pode ser colocado no fogo sem se deteriorar. E a psicologia se apoderou desse termo a fim de exemplificar a capacidade que algumas pessoas têm – e outras podem desenvolver – de não somente sobreviver a uma crise, mas amadurecer emocionalmente com elas. Parece difícil. Mas, ao contrário do que muitas pessoas pensam, a resiliência pode ser desenvolvida em pessoas que não são naturalmente tão resilientes assim. Confira 09 características de pessoas resilientes:

1. Aceitar o problema

Pessoas resilientes não lutam contra a realidade. Elas aceitam o que aconteceu. Aceitar não significa concordar com, ou gostar da situação estressora. Significa não negar o problema e aceitar o que não pode ser mudado. Enquanto não aceitamos um fato ocorrido em nossa vida, ficamos presos emocionalmente a ele e perpetuamos o problema.

2. Focar na solução do problema em lugar de no problema em si

É comum as pessoas se lamentarem de seus problemas e passarem tempo falando sobre eles. É claro que há momento para isso. Mas a solução do problema precisa ser pensada. Para isso é importante: (1) identificar o problema (se possível, nomeá-lo), (2) anotar suas ideias de possíveis soluções para ele, (3) ter uma pessoa em quem você confie e com quem você possa compartilhar suas ideias e ouvir, também, outras possibilidades que essa pessoa possa lhe mostrar, e (4) focar no que voa possa lhe mostrar,a dia para atingir seu objetivo.

3. Expressar sentimentos

Como é difícil experimentar alguns sentimentos. Muitas vezes, o mais fácil parecer ser “varrê-los para debaixo do tapete” em uma tentativa de não senti-los. No entanto, faz parte da recuperação emocional experimentar sentimentos e expressá-los, seja conversando sobre eles com alguém próximo e confiável, chorando, ou mesmo tolerando alguma tristeza que nos sobrevenha, acreditando que ela vai passar.

4. Ter amigos

Vivenciar uma situação dolorosa tendo o suporte de pessoas – mesmo que uma ou duas – próximas, amigas, maduras e confiáveis torna mais fácil a recuperação emocional. Suportar tudo sozinho sem dividir nossa dor com alguém torna o fardo ainda mais pesado. Por isso, é importante desenvolver e manter relacionamentos suficientemente profundos para que, em momentos de crise, possamos receber qualquer tipo de suporte necessário.

5. Sem bom consigo mesmo

Algumas pessoas são muito duras consigo mesmas e exigem que estejam sempre bem, resolvam tudo sozinhas ou que se recuperem imediatamente de uma crise. No entanto, quando situações difíceis nos acometem, é natural temporariamente não nos sentirmos bem. Pessoas resilientes não se menosprezam por viver uma crise, respeitam o próprio ritmo de recuperação e valorizam o que conseguem fazer naquele momento.

6. Ter flexibilidade

Atitudes inflexíveis em momentos de crise geralmente dificultam a solução do problema vivenciado. Pessoas resilientes conseguem ser flexíveis diante de situações que demandem delas uma adaptação, mesmo que momentânea.

7. Ter fé

A fé envolve a aceitação da nossa impotência e a confiança em que Alguém maior do que nós tem o controle da situação. Pesquisas científicas têm mostrado que atividades religiosas como a oração, a adoração a Deus e a meditação desencadeiam um aumento da ativação do córtex pré-frontal (região do cérebro responsável pela tomada de decisões e pelo raciocínio), dos níveis de serotonina e dopamina (hormônios que nos dão a sensação do bem-estar), e uma diminuição do nível de cortisol (hormônio relacionado ao estresse).

8. Enxergar o problema sob outra perspectiva

Quando estamos imersos em um problema, é natural enxergar o acontecimento de maneira unilateral, levando em conta nosso próprio sofrimento. Quando conseguimos parar por um momento e avaliar sob quais outros ângulos poderíamos enxergar essa mesma situação, podemos encontrar perspectivas diferentes e que nos possibilitem atribuir sentido à adversidade.

9. Tolerar alguma angústia

Quando uma crise nos acomete, nossa tendência é querer que ela seja resolvida de um dia para o outro. Caso contrário, a tendência da maioria tem sido buscar “solução” no sexo, bebida, TV, drogas, jogo, comida… Temos que aprender a tolerar alguma angústia. Ela não será maior do que nós. Ela vem, mas irá embora à medida que a experimentarmos.

As atitudes resilientes não são capazes de mudar as circunstâncias estressoras da nossa vida, mas conseguem mudar nossa maneira de encarar os problemas e enfrentá-los.

 

Thaís Souza, psicóloga, para a revista Vida e Saúde

A Redação
COMENTÁRIOS
Comente com
MAIS LIDAS