No Divã
Confissões de um pai coruja: Abra o Cofre!
por Odailson Fonseca    Dia 27/07/2016      No Divã

Minha filha entrou na fase de se trancar dentro das coisas. E eu já estou cultivando úlceras num jardim de tantos sustos. Se ela vê um quarto, banheiro, lavabo, armário, ou até caixa de papelão, esteja certo: vai dar um jeito de se enfiar ali. Outro dia, fechou-se sozinha no elevador e ficou parada lá até descobrirmos que, graças a Deus, ninguém o chamou. Também girou a chave do quarto deixando-nos apavorados em manter o controle pra explicar a ela como destrancar a maçaneta. Sem contar os espaços entre vasos sanitários e paredes, malas e aspiradores, até panelas e frigideiras. É cada canto inimaginável que, realmente, ela sempre ganha da gente na brincadeira de esconde-se-tranca-esconde. Por sinal, só ela brinca.

E o que dizer dos “mais grandões” que também insistem em viver se trancando por aí? É marido com boca de caixão, adolescente de bico maior que baú, mulher lacrando mágoas feito ostra com super-bonder, e até casais com uma frota de carros-fortes blindando qualquer assunto mais sensível. Como cofres ultra-resistentes, todos somos atraídos por nossos próprios esconderijos fechados a sete chaves – e por dentro!

Agora, quer saber? Se está difícil ser compreendido, ficará ainda mais inviável se prendendo no subsolo de si mesmo. Ressentimentos enfiados pra debaixo do tapete só reforçam a confusão pessoal emperrando o cadeado da sua felicidade. Porque ninguém curte a vida se trancando dela! Falar menos, em certas situações, pode ser sábio – porém, não falar nada, acaba sendo suicídio emocional. Ou você é daqueles que adora por a culpa na incompreensão alheia enquanto jamais deu o menor sinal de fumaça de coisa queimando dentro?

Ora, não se feche a tal ponto que ninguém consiga abrir. Deste lado de cá do Céu, sempre esculhambarão nossos castelos, mas nada pode nos enclausurar na terrível solitária – a menos que deixemos! Resista à tentação de ferver por dentro gelando por fora. Ninguém está “nem aí!” pra garimpar com bola de cristal os sentimentos que nos atordoam. Por isso, vai lá e fale com seu chefe; chame o namorado pra conversar olho-no-olho; respire fundo e encare seus maiores algozes; não deixe de expressar algo que não tenha gostado; mesmo a um grande amigo, diga com sinceridade o que transtorna suas emoções. Isso lhe arrancará um hipopótamo das costas!

Aprendeu a lição? Destranque-se antes que seja impossível lhe achar. Além disso, como nós, suma com todas as chaves das portas. Obviamente, quando fizer isso, freie a ebulição do coração com a prudência da razão – mas fale, viu? Inclusive com Deus! Ele jamais se ofenderá perante uma criatura sincera se derramando em angústias sobre Seu colo. Como filho amado, você tem todo o direito das galáxias de se abrir COM Deus, e até se abrir CONTRA Deus. Só não pode se abrir SEM Deus! Porque este Melhor Amigo saberá entender – sempre! – que nossos impacientes socos no ar são desejos autênticos implorando Seu Maior Abraço. E, esteja certo, ele acontecerá.

(Tlac! Minha filhinha voltou se trancar no banheiro. Novamente, lá vou eu ajudá-la a virar a maçaneta enquanto tentarei fazer o mesmo com a fechadura da minha vida. Valeu a dica, Senhor!)

Odailson Fonseca
COMENTÁRIOS
Comente com
MAIS LIDAS