100 Dúvidas
Uma droga mortal chamada álcool
por A Redação    Dia 05/07/2016      100 Dúvidas

Recentemente cientistas britânicos afirmaram que o álcool é uma droga mais perigosa do que o crack e a heroína, por causa dos danos causados a terceiros. O que eles queriam dizer com isso? Simples: eles estavam referindo-se a tantos males que o álcool causa aos que estão ao redor das pessoas que bebem. Um exemplo? Os números cada vez maiores de acidentes causados por motoristas bêbados.

Os danos para o indivíduo vão desde doenças do fígado e o câncer até o suicídio, por exemplo. E já os terceiros correm riscos variados: conflitos familiares, crimes, danos e custos econômicos, entre outros.

A maior parte das pessoas acaba não se preocupando com os males do álcool, e muitas vezes nem vê a bebida como uma droga – já que ela é legalmente consumida na maior do mundo. Contudo, o álcool é uma droga que não apenas causa dependência química, como também provoca estragos consideráveis no corpo humano. Hoje vamos listar alguns deles:

Sobrecarga no organismo
Segundo o médico Ronaldo Laranjeira em entrevista ao site do dr. Dráuzio Varella, “O álcool é absorvido rapidamente pelo estômago e duodeno e, em instantes, cai na circulação sanguínea. Na primeira passagem pelo fígado, começa a ser parcialmente metabolizado, ou seja, o organismo procura formas para livrar-se dele, destruindo suas moléculas e expelindo pequena porcentagem delas pela urina, suor, hálito, etc. O que sobra desse metabolismo inicial vai exercer sua ação em todo o organismo, pois são necessárias várias passagens pelo fígado para que ele seja destruído completamente. Dentro do processo de entrar álcool e sair CO2, existe a formação de uma substância intermediária, o acetaldeído, que é muito mais tóxica e lesiva para o fígado e para o organismo como um todo do que o próprio álcool.”

Gastrite e problemas gastrintestinais
O álcool irrita as mucosas do trato gastrintestinal e está associado a várias doenças desse aparelho, como gastrite, úlceras, varizes esofageanas e câncer de lábios, boca, faringe, laringe, esôfago e fígado.

Risco aumentado do desenvolvimento de cânceres
Segundo pesquisa publicada no site Minha Vida, mesmo o baixo consumo de álcool representa um risco à saúde. Beber pouco, mas com certa frequência – cerca de três bebidas alcoólicas por semana -, aumenta em 15% a chance de desenvolver câncer de mama. Já aqueles que bebem pelo menos dois copos de vinho ou cerveja por dia têm uma probabilidade 50% maior de ter a doença.

Dependência
Por mais que a maior parte das pessoas não queira admitir, quem consome álcool regularmente encontra certa dificuldade para parar ou diminuir o uso das bebidas. Normalmente é dito que “eu bebo socialmente, não faz nenhum mal”. Mas se estas mesmas pessoas decidissem ficar 1 mês sem beber nenhum tipo de bebida alcoólica, elas se surpreenderiam com a forma que o seu corpo responderia.

Pense, repense e cuide melhor do seu corpo, ele é a sua casa! :)

A Redação
COMENTÁRIOS
Comente com
MAIS LIDAS